BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Do Infinito



"O pensamento é a presença do infinito na mente humana."



Emilio Castelar



Ao desfolhar a Colectânea Do Infinito, ao contemplar as várias formas estéticas, a heterogeneidade de ideias, a diversidade de estilos, idades, fechei os olhos por um instante e, ao mesmo tempo que pensei na fortuna de ter sido seleccionado, imaginei que me ia afastando de mim próprio até ao infinito.
Mas será que podemos ir além dos limites da nossa imaginação?
E qual o limite da nossa imaginação?
Ao ler esta colectânea, fiquei com a certeza de que a imaginação não tem términos e é como um universo, em expansão permanente.
Na realidade descobri que ao virar de cada página, era como aflorar uma nova estrela.
E vaguei por tantas que não as contei. Mas, de que me adianta saber quantas estrelas existem no céu se não me conheço a mim mesmo, se não sei quantos sonhos existem na minha alma!
É justamente na raia do real e do imaginário, do finito e do infinito que me encontro. Vejo-me imerso num colapso da razão onde não posso definir o certo do errado.
E nesta imensidão do pensamento, não passo de um sonho do tamanho de um grão de areia.
Poesia, conto, conto poético, ou versos em prosa, de tudo esta colectânea possui.
No seu íntimo encerra 22 autores que viajaram num sonho infinito através da palavra.
Á Minerva e ao Ângelo Rodrigues, um obrigado especial por terem proporcionado o trilho certo para esta aventura sem limites.
A si, que me lê quero apenas dizer, que este livro não se encontra à venda e que apenas pode ser adquirido aos autores, dado ser uma edição limitada.
A todos os restantes participantes, o meu agradecimento.

2 comentários:

Moura disse...

Bom dia !

Obrigado por cada palavra sua. Ainda nao tive oportunidade de ler o livro todo ainda vou nos contos... o tempo tem estado escasso mas mal tenha tempo vou le-lo =]

Beijinhos ... continue =)
Sempre que puder dou aqui um salto ; )

Malu disse...

Pois eu gostaria de ler este INFINITO...

Saudades de ti, meu amigo

Andas tão distante!