Performancing Metrics

BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

quarta-feira, 31 de março de 2010

A rua e eu


A rua à noite sob chuva é um lençol húmido e negro
O vento tange a sua harpa de água
A criança descalça e alheia de portal em portal
Joga e brinca na rua desfolhada
Pés descalços, sujos, sentem o alcatrão
Na rua crua feita de selva urbana
Rebola a bola feita de trapos
Joga despido, conduzido pela imaginação.
Constrói histórias no mundo vazio,
Brinca livremente, voa sorrindo
Corre solto como ave em céu aberto
À procura do seu rumo.



O cão que veio afagar-me com o pelo molhado
O mesmo cão que se fosse de dia me teria mordido
As luzes encolhidas nas copas das árvores
O homem que hesita de chapéu-de-chuva na mão
A carta de amor que flutua à tona da sarjeta
Como vela de nau fugida à descoberta
As barrigas das casas que vão parir amanhã bem cedinho
Os rebentos da cidade.



E eu,
Peregrino de nenhuma crença, com o saco vazio de esmolas
Porque já não são horas de pedir
Trago o silêncio agarrado nos meus bolsos.



E a rua,
Que os meus passos enchem devagar
É preciso que a noite me aconteça
Enquanto represento o que procuro
No palco sem saída.



Prossigo percorrendo o meu sinuoso caminho
Viciado de barreiras e de abrolhos
Um trajecto em que à muito percorro sozinho
A lacuna que os meus olhos reflectem
Caminho tortuoso, complicado
Não sei o que me resta mas percorro
Só sei que já me custa, estou cansado
Mas penso, se parar depressa morro!



Agora que já tenho para onde ir
É que compreendi
Que a rua que me fica para trás
É um poema daqueles
Que nunca se consegue concluir.



É agora madrugada
repouso a caneta, tranco as pálpebras pesadas
aos cansaços,
às imagens,
às palavras,
Repouso o meu corpo no leito
Cubro-me com o cobertor encetado do pensamento.

Como gostaria de saber escrever um simples poema de amor.

3 comentários:

Angel in the dark disse...

Que grande luta se trava nesse interior...

Luz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
catwoman disse...

A complexidade do pisciano, faz travar muitas lutas no seu espiríto, e tu consegues exprimi-las tão bem.
Beijinho.